segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

SEMPRE AO SEU LADO


Neste último domingo, dia 27 de dezembro de 2009, pensei que ia ficar desidratada de tanto chorar.


O motivo foi o filme: Sempre ao seu lado. Trata-se da mais recente estréia dos cinemas, estrelado pelo ator Richard Gere e um cão da raça japonesa Akita.

O filme é baseado em fatos reais, e conta a estória de um relacionamento de amizade e lealdade entre um homem e um animal de estimação.

O cenário original da estória foi no Japão, entre um escritor japonês e o cachorro que o encontrava pontualmente na estação de trem.

No filme Parker (personagem interpretado por R. Gere) é “ encontrado” por Hach (cão) quando este sai ainda filhote de sua caixa de transporte na estação de trem em uma cidade nos EUA.

Deixe-me explicar “é encontrado”... O cachorro conquista seu dono desde o começo, se afeiçoa a ele de uma maneira muito especial. Todos os dias às 17h00 da tarde, o cão aguardava seu dono fielmente na estação de trem. Um dia infelizmente, algo trágico acontece, mas o cachorro continua esperando seu dono... E continua... Por mais 9 anos.

Uma palavra marcou a mensagem deste filme, de maneira bem simples:

Fidelidade

“Fidelidade (do latim fidelitaspelo latim vulgar fidelitate) é o atributo ou a qualidade de quem ou do que é fiel (do latim fidelis), para significar quem ou o que conserva, mantém ou preserva suas características originais, ou quem ou o que mantém-se fiel à referência.

Fidelidade implica confiança e vice-versa, e essa relação de implicação mútua aplica-se quer entre dois indivíduos, quer entre determinado sujeito e o objeto sob sua consideração, que, a seu turno, também pode ser abstrato ou concreto. Essa co-significação originária mostra-se plena quando se trata de dois sujeitos, ambos com capacidade ativa, pois, nesse caso se pode invocar o correlato confiança (do latim cum, "com" e fides, "fé")”. Fonte:Wikipedia

Não importava o que acontecia, tanto homem quanto animal mantinha uma relação que preservava suas caracteristicas originais desde o primeiro Encontro. O dono é encontrado, o cachorro escolhe amá-lo e procura conservar esta afeição todos os dias, devolvendo em todos os retornos do dono, uma festa inigualável e tipica, que só quem conhece, são aqueles que cultivam a amizade com esses anjos de quatro patas.

Fidelidade implica confiança. A nossa relação com o Criador denota isso. Não importa o tempo nem muito menos as estações. Deus expressa sua fidelidade de uma maneira irrestrita.

Sua fidelidade é tão grande que ele não aprova nossos erros , mas está sempre pronto à nos perdoar e festejar conosco nossas vitórias e nosso retorno para uma estação de trem , chamada : comunhão com Deus.

Tenho 3 cadelas de estimação:A poodle Vicky, a lhasa-apso Bebel e a Yorkpoodle (rss) Chiquinha. Qualquer uma delas, são capazes de reconhecer a saída e a chegada do meu carro no condominio onde moro, assim como qualquer sinal da minha presença. Sou ausente delas o dia todo, mas estão sempre prontas a me presentear com generosas lambidas. Não importa o que eu faça.Elas estão sempre dispostas a me amar. Não imagino a minha vida sem elas.

Contudo, aprendi que nada neste mundo é capaz de substituir a relação de fidelidade que Deus tem para comigo. Não existe nada que eu possa fazer para impressionar à Deus, Ele simplesmente me encontrou e sempre decidiu me amar.

Muitas vezes as minhas fraquezas me impedem de estar em intima comunhão com Ele, mas a despeito das minhas ausências , Ele ainda se faz mais presente, me dando forças para prosseguir.

Querido Leitor, Deus estará SEMPRE AO SEU LADO...

Reflita isso...

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

HAPPY DAY!




Happy Day!




Dia Feliz! Esse é o título da canção que ministramos na igreja neste domingo de Culto Especial de Natal.

Happy Day é uma das canções gospel mais difundidas por todo o mundo. Ela é tão popular, que ganhou inúmeras versões e diversos intérpretes, inclusive Elvis Presley.A canção recebeu vários arranjos e melodias diferentes, mas sabiamente nenhum autor alterou a sua letra, que diz assim:

Oh Dia Feliz! Oh Dia Feliz! (Tradução)



Quando Jesus lavou (quando Jesus lavou)

Quando Jesus lavou (quando Jesus lavou)

Jesus lavou (quando Jesus lavou)

Levou meus pecados embora (oh dia feliz)



Oh dia feliz, (oh dia feliz)

Oh dia feliz, (oh dia feliz)

Quando Jesus lavou (quando Jesus lavou)

Quando Jesus lavou (quando Jesus lavou)

Quando meu Jesus lavou (quando Jesus lavou)

Levou meus pecados embora



Ele me ensinou como (me ensinou como)

Como caminhar (caminhar)

Lutar e orar (lutar e orar) lutar e orar

(e me ensinou como viver louvando)

E viver louvando cada, cada dia, cada dia

Esta canção faz bem para alma, porque ela expressa o nosso sentimento diante do dia em que nascemos de novo e Ele nos restaurou por completo.

Foi efetivada uma real limpeza em nossas vidas. Ele retirou tudo que era imundo, que não fazia parte da verdadeira constituição que Deus tem para mim e para você, que é sermos justificados e refletirmos a sua semelhança, vivendo a plenitude de vida Nele.

Ele nos ensinou sim a caminhar com Ele, dando passos em direção ao alto, para sermos cidadãos dos céus...

Ele nos ensinou como lutar usando a maior arma: O poder da oração.

E o melhor: Ter um coração grato a Deus e viver louvando a cada dia pelo infinito amor que Ele, somente Ele, nos oferece.



Happy Day na vida daqueles que um dia deixaram ser tocados pelo amor de Deus.

Happy Day quando você o deixou nascer na sua vida.

Happy Day quando o veremos face a face...



Happy Day para você, meu querido leitor!



Reflita isso!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

GERAÇÃO BARBIE



Um dos grandes sintomas da pós-modernidade é o visual. Os valores em torno do universo corporal criaram destaque na atualidade. As pessoas estão sendo definidas pela aparência que possuem. A beleza tem sido cultuada em todas as esferas e o mito da eterna juventude é sustentada pela mídia e pelas milionárias empresas de cosméticos, dos quais o Brasil ocupa um lugar expressivo no ranking do consumo de produtos de beleza.


O cuidado com a beleza, observando seus parâmetros corretos, é saudável. O cuidado com o corpo é louvável e expressam de certo modo o bem querer consigo mesmo. Contudo, quando os limites não são observados, torna-se patológico.

A pessoa passa a viver em função da produção externa. Não aceita os sintomas naturais do envelhecimento e negando a realidade, passa a gastar tempo e dinheiro de modo anormal, tentando mascarar o tempo.

Ocupações e coisas que antes lhe davam prazer, agora são preenchidas pelo tempo interminável em academias, shoppings e centros de estética.

Cirurgias plásticas e tratamentos dolorosos, que colocam sua vida em risco não são mais avaliados, já são cogitados como naturais na agenda de “qualquer mulher eleita moderna”.

Um dos trechos que me chamaram a atenção, após a divulgação da carta da falecida atriz Leila Lopes foi: “Eu não quero envelhecer e sofrer” fonte: Folha Online.

A pressão dos tempos atuais, fazem as pessoas a não aceitarem mais um corpo que lhes pertence. Querem transformá-lo a qualquer custo.

Qual é o preço psicológico que o individuo paga com tudo isso? Não raramente, a depressão surge, pois em determinados momentos a realidade é descortinada, não tem mais como negar que o tempo chegou. O desequilíbrio surge como resposta ás sensações de angústia e frustração frente a algo que nenhum ser humano ou creme milagroso pode controlar. O envelhecimento.

Prefiro ser criativa e não pertencer a geração Barbie. Detalhe: Ela já completou 50 anos!

Reflita isso!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

SUPERPROTEÇÃO – Um Analgésico perigoso





Deu no noticiário: “Menina espanca a colega da escola estimulada pela própria mãe”.

O que motiva os pais hoje em dia a adotarem um comportamento que estimule a superproteção?

Vivemos em uma sociedade que deseja a todo custo evitar a dor. Os analgésicos são variados.

Os pais cada vez mais perdidos, tentam a todo custo evitar que seus filhos não enfrentem  frustrações , necessárias para o desenvolvimento e o crescimento emocional e social.

As crianças estão tornando-se cada vez mais intolerantes aos “nãos” e os pais cada vez mais imediatistas em relação à educação dos filhos, preferem adotar o sim e mover céus e terra para que nada fuja do alcance dos seus rebentos, recorrendo a determinadas” psicologias de almanaque” para justificar seus procedimentos.

A superproteção na verdade ocasiona desproteção. As crianças vão crescendo dentro de redomas e encapsuladas pelos pais, não criam a noção de limites. Não sabem até onde podem ir, pois o “céu é o limite” para muitas. Vão transformando-se em pessoas inseguras, adolescentes arredios e adultos mimados, que se tornam instáveis em qualquer tipo de relacionamento.

São instáveis nos relacionamentos. Os colegas e os pares não suportam sua presença.

São instáveis na vida profissional. Não se fixam em nenhum emprego por muito tempo.

São instáveis na vida amorosa. O casamento não completa nem o 1º. Ano de bodas.

São indivíduos que precisam sempre de apoio e algum tipo de “bengala psicológica” para justificar suas atitudes.

Pais conscientes precisam entender que:

. Os filhos lhe pertencem, mas não o seu destino. A boa semeadura, o solo adequado, a poda e principalmente esta, precisam acontecer para que a sua criação vingue e seja saudável e vigorosa.

. Criam-se filhos para a vida. Isto envolve: Permitir que eles sofram as conseqüências dos seus atos, para se tornarem mais responsáveis. Não impedir determinadas frustrações naturais da vida, para aprender a lidar com suas próprias emoções.

. Trabalhar fora de casa é um expediente que acomete boa parte da população atual. Se um dos cônjuges não pode abdicar da atividade fora de casa, não deve jamais suprir sua ausência intoxicando seus filhos com um veneno chamado consumismo.

. Superproteção, muitas vezes mascara na verdade, a  rejeição. Os pais muitas vezes rejeitaram o filho no passado, o que gera o sentimento de culpa , compensando com todo tipo de abertura.

. Jamais vão perder o amor dos filhos por exercerem a figura de autoridade que lhe pertencem. Negar este papel é negar a oportunidade aos filhos de terem um referencial no qual se modelarão no futuro e também seus limites.

Analgésicos têm o poder de tirar a dor momentaneamente e mascarar sintomas. Tem alivio imediato da dor, mas são incapazes de extinguir o que provoca a dor.

Reflita isso!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

A ORAÇÃO DA PROPINA




As últimas notícias são dignas de um filme apocalíptico. Um grupo de pessoas realizando uma oração de agradecimento, após receberem propina.

Pessoas totalmente equivocadas com todos os propósitos do Cristianismo. Mentes cauterizadas pela própria sede de poder e dinheiro.

O que é cauterização?

Cauterização é a interrupção que um membro ou órgão sofre, e perde a total ligação com as terminações nervosas que antes lhe conferiam dor ou algum tipo de sensibilidade.

Lembro-me quando ainda estagiária na Área de Psicologia Organizacional (no final da década de 80) visitei uma famosa fábrica de lâmpadas no ABC Paulista. Em conversa com o Engenheiro de Segurança do Trabalho, ele me relatou qual era o acidente mais temido pelos funcionários da linha de produção: o corte a laser. Se ele atingisse por descuido o trabalhador, á área afetada era automaticamente cauterizada, ou seja, a pessoa mal tinha tempo de sentir dor nos membros, dedos, mãos ou braços. Eles eram amputados automaticamente, sem condições de reimplante, por ocasião da cicatrização instantânea dos feixes nervosos.

Acredito que o exemplo acima, ilustra muito bem a situação de muitas pessoas. Mentes cauterizadas perdem totalmente a sensibilidade e o temor aos princípios éticos e morais e colocam ainda uma moldura pseudocrístã para ratificar suas bizarras crenças.

Fatores sociais e genéticos influenciam diretamente no desenvolvimento do nosso senso ético e caráter, porém aquele que é nascido de novo, conforme os preceitos cristãos, jamais pode se deixar corromper.

Corrupção vem do latim corruptione, que significa depravação, putrefação, decomposição, desmoralização, suborno.

Infelizmente, é uma das palavras de uso corrente no cenário político brasileiro.

Cientistas sociais investigam há muito tempo, a história da corrupção na formação do povo brasileiro e as origens remontam desde os primórdios da colonização, que mostram seguramente as motivações dos colonizadores e vários povos que deram origem à raça brasileira, estarem atrelados a lei da vantagem fácil e a espoliação.

Investiguei exemplos importantes, dentre eles citado numa interessante pesquisa publicada pela Revista Psique, edição 44, 2009, SP, cuja questão é: Você aceita a corrupção? Boa parte dos participantes acha aceitável a pessoa que compra produtos piratas, mas julgam inaceitável uma grande empresa que sonega impostos.

A cultura do “jeitinho brasileiro” está incrustada na formação ético-cultural da nação brasileira. Somente uma verdadeira revolução de valores, para erradicar este cenário que todo dia nos agride através das primeiras páginas dos jornais.

Essa revolução de valores só pode ser proporcionada pelo Cristianismo. O verdadeiro cristianismo concorre para que a pessoa se torne sensível a tudo que seja ilícito.

O exemplo dos noticiários mostra um pouco a face das mentes cauterizadas, das quais as sagradas escrituras falam.Nada mais lhes provoca constrangimento ou temor, simplesmente as corruptas ações servem de pretexto para justificar seus atos vergonhosos. São enganados pela própria conveniência e desejo.

Reflita isso!

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

DESÂNIMO



Chegou dezembro em São Paulo!


Está fazendo um calor equatorial. O trânsito caótico, causando a sensação de que o nosso cérebro pode a qualquer momento ser frito. O natal se aproximando e as pessoas se aglomerando pelos shoppings, 25 de março, Brás, Bom Retiro e centenas de lugares que se tornam intransitáveis nesta época do ano.

Lembra do pó do pirlim-pimpim que a Emília do Sítio do Pica-Pau Amarelo (que saudades!) usava quando queria desaparecer do lugar? É o sentimento que todo bom paulistano atravessa nesta época do ano, contudo, mesmo assim, insistimos em amar a Paulicéia Desvairada.

Brincadeiras á parte, final de ano é uma época que causa em muitas pessoas o desânimo, o famoso ”Vai começar tudo outra vez!”. Por que este tipo de sentimento tão comum nos dias atuais, bate à nossa porta?


1º. Perda da visão – A ESCURIDÃO é algo terrível. Uma simples conjuntivite quando nos assola, deixa a nossa visão turva e nublada, gerando um incomodo e muita confusão. Contudo, a pior visão que alguém pode perder é justamente quando ela não acredita mais nos seus sonhos e como ele pretende contribuir com as pessoas ao seu redor e, principalmente, quais serão as marcas que ela promoverá no futuro. Não enxergar o que pode fazer para melhorar você e o mundo ao seu redor é desolador. Portanto use o colírio da fé.


2º. Medo – O medo faz a gente perder as forças! Uma passagem bíblica que ilustra bem isso, é a ocasião dos espias em Canaã. A maioria só viu os gigantes, homens enormes, que pareciam tragar a terra como gafanhotos, apenas dois homens, Josué e Calebe, tiveram uma visão diferente da terra e queriam demais conquistá-la, e por fim, acabaram conquistando sua porção de terra.


3º. Planejamento – Toda conquista precisa de organização e disciplina. Deus, o supremo Criador, criou o mundo em sete dias, mas nós queremos que os nossos alvos se concretizem em 7 segundos e sem planejamento algum, ou seja, queremos que as coisas simplesmente aconteçam.


Receitas Básicas:

Perda de visão: Utilize o colírio da fé com abundância para ampliar seus horizontes de vida.

Medo: Tenha coragem de prosseguir! O que você quer conquistar em 2010 vai precisar enxergar os gigantes com outro olhar.

Planejamento: Estabeleça alvos. Nada como seguir com disciplina e fidelidade metas que determinamos.

Reflita isso!

2 Coríntios 4:8 Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

SNAP - A Pulseirinha do sexo "Um alerta para os Pais"




Há algum tempo temos notado o aumento da incidência de crianças e adolescentes que estão utilizando pulseiras coloridas em nossa escola.


Á priori uma pulseira colorida de silicone é totalmente inofensiva. Chegamos a pensar que isso poderia ser mais um invencionismo da mídia para causar polêmica. Contudo, nossa preocupação aumentou, quando vimos o assunto ser discutido na mídia de grande circulação: TV. Bandeirantes, Jornal Agora, Blogs e sites de diferentes credos e posturas.

SNAP – é o nome da pulseirinha que seu filho (a) pode estar usando. Ela surgiu na Inglaterra e já é febre em todo mundo, inclusive no Brasil. Segundo fonte do Agora em 10.11.2009, já é possível comprar 12 pulseiras por apenas R$ 1,50 nas barracas dos camelôs em São Paulo.

Mas afinal o que é SNAP? É um jogo.

Como funciona? Quem usa a pulseira automaticamente está participando do jogo. Uns tentam arrebentar a pulseira do outro. O vencedor ganha o direito a realizar o ato, ao qual a cor da pulseira corresponde que pode ir de um simples abraço ao sexo.

O que me preocupa como psicóloga é que a experiência sexual da criança e do adolescente está sendo determinada por um jogo, banalizando a sexualidade.

Atitude: Tenha um dialogo franco e honesto com seu filho (a) sobre o assunto, procurando explicar os riscos do envolvimento com brincadeiras que forçam as pessoas a fazerem aquilo que não querem , apenas para pertencerem a um grupo e principalmente com valores e ensinamentos que a família não defende.

Só proibir não resolve. Busque alcançar a consciência e o coração do seu filho (a) para o assunto em pauta. É um bom momento para exercitarem uma conversa saudável sobre sexualidade (respeitando os limites de cada faixa etária) e também acerca da influência negativa de certas modas.

O que nos preocupa não são as pulseiras em si, mas o significado atribuído na dimensão do jogo SNAP.
Sexualidade não é brincadeira, na verdade é uma expressão maravilhosa do amor de Deus na vida de um casal, que de maneira madura resolveu concederem o “sim” mutuamente num altar, vivendo sob a benção Dele.

A seguir os códigos das cores das pulseiras:

Amarela: Abraço
Laranja: Dentadinha de amor
Roxa: Beijo com a língua etalvez sexo
Verde: Chupões no pescoço
Vermelha: Fazer uma lap dance
Rosa: Sexo oral a ser praticado pelo rapaz
Branca: A menina escolhe o que preferir
Azul: Sexo oral a ser praticado pela menina
Preta: Fazer sexo com o rapaz que arrebentar a pulseira
Dourada: Fazer todos citados acima

terça-feira, 24 de novembro de 2009

P.O.D.E




P.O.D.E é a nomenclatura que criei para o fenômeno pós-moderno que alcança milhares de famílias na atualidade: Pais Ocupados DEmais.


Os noticiários constantemente relatam as tragédias do quotidiano familiar, filhos que agridem e matam seus pais, pais que matam, agridem e violentam seus filhos.

Contudo, as manchetes da semana passada me chamaram atenção para uma fatalidade sem precedentes: a mãe que esqueceu seu filho com poucos meses dentro do veículo. Segundo relato da imprensa, a mãe tinha voltado à rotina do trabalho havia pouco tempo, e não conseguiu perceber que tinha esquecido o bebê dentro do carro.

Não quero emitir nenhum juízo de valor acerca da mãe, por vários motivos, entre eles: a dor da perda, que é a maior punição que alguém pode receber e o contexto da própria saúde e circunstâncias de vida que norteiam a mãe.

O que me impressiona de fato é o aumento de notícias deste tipo. É como assistir todos os dias, o filme ” Esqueceram de Mim” às avessas, ou seja, experimentamos uma sensação muito ruim, provocada por verdadeiras cenas de terror da vida real.

A trágica notícia do bebê esquecido dentro do automóvel, foi transmitida por vários telejornais de grande audiência nacional. Em um deles, o repórter anunciou, sem nenhuma transição, a noticia de um gorila que há sete anos em cativeiro nunca havia se reproduzido. A mamãe gorila pertence a um zoológico no Japão e estava com seu filhote amamentando. “O repórter enfatizou:” – Olha como ela não deixa o seu filhote um minuto sozinho! Ninguém pode se aproximar dele!



Querido leitor! As manchetes precisam fazer todos nós refletirmos acerca do rumo que nossa civilização tem escolhido.

Deus designou na natureza, o papel da maternidade, bem especifico para a maioria das espécies criadas por Ele. O papel do pai e da mãe é garantir  a proteção e as condições básicas para o ser continuar existindo. Significa no mínimo, estar presente.

A atitude da mamãe gorila, no zoológico é um comportamento que respeita as regras da natureza: o estar junto, o instinto de proteção, cuidado e alimentação.

A atitude de muitos seres humanos é um comportamento antagônico ao dos animais, desrespeitam totalmente as regras da criação.

A cada década que atravessamos, o tempo que pais e filhos passam juntos é menor. A presença dos pais na vida dos seus filhos tem se restringido a poucos momentos à noite e alguns finais de semana, salvo se um dos pais não tiverem que trabalhar ou fazer horas extras para garantir o futuro de uma família, que nem se encontra para as refeições.

Crianças são esquecidas em escolas e creches (literalmente) aeroportos, shoppings, estacionamentos e onde sua imaginação permitir, pois não se trata mais de obra de ficção.

A ausência na relação é explicada pela inversão total de valores em nossa sociedade. Nesta ausência, começo pelo papel da maternidade. Hoje uma mulher abraça uma diversidade de papéis, que pode ser comparada a um polvo, com inúmeros braços e tentáculos, tentando agarrar e dar conta de tudo ao seu redor. Ela detem o papel de filha, mãe, esposa, profissional entre outros. O resultado é desastroso, pois não pode existir excelência no cumprimento de todas estas tarefas, com certeza o braço mais penalizado será a educação e a presença junto aos filhos.

Pais ocupados demais para estabelecerem um vínculo de significado e importância na vida dos seus filhos por isso se justificam o aumento crescente de órfãos de pais vivos.

Pais ocupados demais para protegerem seus filhos das armadilhas da mídia e das ofertas do mundo hodierno.

Pais ocupados demais para oferecerem lições de vida, as quais não ensinam nos bancos escolares.

Pais ocupados demais para oferecerem amor, porque o individualismo e o egocentrismo não o capacitam para doação e a renúncia.

Pais ocupados demais não esquecem seus filhos apenas dentro dos seus automóveis, esquecem seus filhos das suas próprias vidas, pois lá, eles já não cabem mais.

AH! E a mamãe gorila? Não sai de pertinho do seu filhote um instante. Ela está ocupada demais com ele.

Reflita isso!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

2012 É O FIM DO MUNDO?



Vivemos numa sociedade pós-moderna, onde as pessoas estão cada vez mais individualistas, focadas em si mesmas e egocêntricas.

A conveniência nas atitudes dos seres humanos, tem governado seus valores e notamos cada vez mais relacionamentos cristalizados e efêmeros, haja visto o número crescente dos relacionamentos virtuais.Não é por acaso que o Brasil ocupa o 2º. Lugar no ranking mundial de contas no Orkut.

Na década de 40 nós podíamos ver uma família reunida em  uma mesa.

Na década de 50 uma família reunida em torno de um rádio.

Na década de 60/90 uma família em um sofá na frente do televisor.

Século 21: a família não se reúne, nem ao menos ao redor de um objeto, mas cada membro, agora de forma individual , está na frente do computador, relacionando-se de forma virtual, ás vezes até com os próprios membros da família.

Conheço uma pessoa que “para economizar tempo” quando toma alguma decisão, manda e-mail com cópia para todos os membros da família, para garantir, segundo ele, que todos serão informados.

Caro leitor, não me sinto uma pessoa desatualizada ou fora de contexto, mas confesso que não consigo me sintonizar com esse modelo de comportamento que está ganhando muita força na atualidade.

A centralidade do eu na vida do ser humano tomou proporções incálculáveis.

A nossa cultura de época, do imediatismo e mecanizada, impedem as pessoas de observarem o outro e de se colocarem no lugar das pessoas, ou seja, adotar um relacionamento empático com seu semelhante.

Vou citar a melhor frase do filme: 2012 (Columbia Pictures, 2009) que tive a oportunidade de assistir ontem no cinema e que me chamou a atenção: “ Quando pararmos de lutar uns pelos outros, teremos perdido nossa humanidade”.

O filme retrata o fim do mundo em 2012. Absurdos à parte, efeitos especiais de primeira magnitude e muitas catástrofes, que o gênero permite, o filme mostrou um detalhe muito especial e antagônico aos dias atuais: doação.

O final dos tempos na verdade, não são as catástrofes oriundas das alterações climáticas, tsunamis, furacões, quebra da bolsa de valores ou guerra nuclear. O fim do mundo é você não perceber o seu semelhante e não reconhecer o quanto  pode fazer diferença na vida de outrem.

Reflita isso!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

A CEGONHA E A SEXUALIDADE INFANTIL




Tenho uma sobrinha linda , inteligente , dotada de uma imaginação muito fértil.Aos 3 anos de idade, na mesa de jantar, ao lado dos pais, disparou :

- Papai e Mamãe, tenho uma coisa muito importante para falar para os dois:

Minha irmã, querendo rir, mas demonstrando interesse e seriedade para o discurso de sua filha disse:

- Querida, pode falar!

- Mamãe, sou agora uma “adolecrente” eu estou “galvida”.

Traduzindo: Adolescente e grávida.

Minha irmã, como muitos pais, ficou apavorada com a fala da criança, e como tem a titia aqui psicóloga, ligou para mim desesperada.

Eu contive meus risos e disse a ela: - Você perguntou como ela ficou grávida?

- Minha irmã: - Não!

Eu respondi: - Me liga depois, e me conte o resultado, só para matar a minha curiosidade.

Quando ela perguntou, minha sobrinha respondeu: - Dei um beijo no Mickey (seu boneco de pelúcia preferido) e fiquei galvida.

Descobrimos depois que ela assistiu um trecho destas novelinhas mexicanas...,por descuido da sua mamãe.

Com esta pequena ilustração, quero chamar a sua atenção e de todos que lidam com educação de crianças: SEXUALIDADE é um processo da vida inteira: os pais terão tempo suficiente de melhorar o que não conseguirem explicar da forma como gostariam.



Com a atitude dos pais, as crianças aprendem se o sexo:

. É bonito ou feio

. Certo ou errado

. Conversável ou não



Muitos pais ainda dizem às crianças que elas chegaram de cegonha...

Que foram compradas no hospital...

Brotaram de uma flor....

Não há necessidade de mentir.Não pode ser considerado feio algo que é natural.

Não existe idade ideal, mas sim a forma ideal para falar de acordo com cada idade.

Como dar respostas, é o quesito terror para a maioria das pessoas. Elas devem ser simples e claras. Não há necessidade de responder além do que foi perguntado.. A própria criança vai dando sinais de que está saciada em relação aos seus próprios questionamentos.

O maior perigo de não dar respostas, são os fantasmas que começam a povoar a mente da criança e que para saciar sua curiosidade vai buscar fontes externas que não são fidedignas, tais como: coleguinhas, pessoas que não professam as mesmas crenças e a internet.

Responda sempre e com bom senso, respeitando o grau de entendimento e limite para a idade a qual a criança pertence.

Se você foi pego de surpresa e não sabe o que responder naquele momento, diga que vai pesquisar para responder melhor e depois não finja que “esqueceu”! A criança não esquece e o que é pior, ela não volta a te perguntar, porque perde a confiança em você.

Jamais utilize o clássico “pergunte para o seu pai”...Fórmula ideal: Falar juntos...

Atitude é tudo:

.Tom de voz

. Segurança nas informações

. Estar ou não à vontade.... Tudo é captado pela criança!

Pesquisas mostram que...

. Crianças esclarecidas tendem a ser mais responsáveis e a adiar o início da sua vida sexual.

. A curiosidade foi saciada, através de diálogos verdadeiros, pautados inclusive no seu posicionamento em Deus.

. São presas menos fáceis para abusadores sexuais.

. Reduz o índice de gravidez indesejada.

. Contaminações por doenças sexualmente transmissíveis

. Aumenta o afeto e a parceria em casa

Estarão no caminho certo se seus filhos pensarem:

“Vou perguntar a mamãe e papai que eles sempre me respondem”.

Reflita isso!!!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

CHAMADOS PARA A EXCELÊNCIA



No meio acadêmico, social e organizacional muito tem se buscado a identificação de perfis de pessoas talentosas e que deixem suas marcas e façam diferença.

A média sempre me incomodou. Ela dá a sensação de estagnação e acomodação.

Tenho conversado com muitos jovens que ficam felizes por receberem notas médias em seus boletins escolares, afinal pensam , alcancei o resultado para ser aprovado.

Mas a vida, querido leitor não aprova quem fica na média, ou o comportamento medíocre que no dicionário, significa: individuo na média, banal, que não se distingue, reles, vulgar.

Só para sua reflexão:

Concursos públicos aprovam quem alcança pontuação média?

Vestibulares aprovam quem obteve notas médias?

Indivíduos que possuem um currículo na média são escolhidos nas empresas?

Governantes são eleitos com votos da média ou da maioria?

Competidores e jogadores chegam ao pódio porque foram os melhores em suas respectivas categorias ou estavam na média?

Somos feitos para fazer distinção no solo que pisamos.

Fazer a diferença é muito mais que receber uma medalha, um troféu ou qualquer tipo de reconhecimento, pois muitas vezes você não vai receber nenhum. É simplesmente “ fazer falta”. É como uma pecinha de um relógio, que parece insignificante, mas se retirada, não faz a engrenagem girar.

As escrituras sagradas nos ensinam que devemos procurar fazer as coisas como se fossem para Deus.... Significa dar o meu melhor.

Será que as nossas atitudes refletem isso, quando nos contentamos em fazer o que todos fazem, ou seja, adotar o estilo das massas?

O que te diferencia da multidão é o selo de uma vida transformada pelo reinado absoluto de Deus no seu coração.

Excelência é como ter um selo de qualidade, quando você o detecta na embalagem , tem confiança em adquirir.

A excelência tem que ser o alvo em tudo que buscamos fazer, ainda que a meta não tenha sido alcançada, ela pelo menos foi perseguida e a jornada para isso é o que mais importa, pois ela é cheia de aprendizados e desconfortos.

Ao contrário da excelência, a mediocridade nos deixa acomodados numa determinada zona de conforto, porque não promove nenhum tipo de mudança.

A excelência deixa marcas, tanto nas realizações como nas lembranças.

Várias pessoas passam por nossas vidas... Sempre nos lembramos daquelas que nos estimularam a dar o nosso melhor. São os professores exigentes, os líderes assertivos, os amigos sinceros e outros que você preferir para preencher a sua lista.Todos eles tem algo em comum: Imprimiram suas marcas em nós.

Fazer a diferença incomoda. Mas quem disse que somos chamados para agradar em detrimento da mediocridade?

Só realiza quem constrói a excelência em Deus!

Reflita isso!

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

A ARTE DE ENVELHECER





Dona Nair Viegas faz 100 anos esta semana. Que privilégio! Presenciar a passagem do cometa duas vezes, como ela mesma diz: - Não é pra qualquer um , não senhor!

Paraibana do sertão nordestino, dona de uma inegável autoestima e de uma personalidade intensa ( alguns diriam arretada mesmo).

Deixou o sertão com apenas 15 anos de idade, em busca dos seus sonhos. Naquele tempo, uma menina era muito mal vinda para uma família de agricultores, pois não era uma mão de obra viável para a lavoura.

Contra todos os preconceitos de uma época, lá se vai a valorosa Nair para a cidade de pedra, (naquele tempo, não tão pedra assim) chamada São Paulo.

Trabalhou com muito vigor e ânimo em casa de família e numa delas (uma casa de europeus) adquiriu uma elegância e um estilo finíssimo que carrega até hoje.

Mudou de ares, foi para o Rio de Janeiro, ajudou seus irmãos na Paraíba e finalmente foi para Ilhéus, onde encontrou o amor da sua vida. O fazendeiro de cacau, filho de uma linhagem lendária na região, entre índios e ciganos espanhóis).

Teve 9 filhos, 6 deles morreram de doenças que não haviam vacina para curar e isso não tirou a alegria dela viver.

Que vigor, que amor pela vida! Sempre respeitou o tempo. As marcas da idade demoram muito a surgir e quando surgiram , comprou uma tintinha ...

Nunca vi se entregar para a idade. Nunca colocou limites para fazer o que tinha vontade.Faz pouco tempo que parou de viajar de avião sozinha (Não é que não queira). Dona de uma fé inabalável , lutou para reconstruir sua vida, quando perdeu tudo junto com o marido, após os 50 anos de idade.

“O dia para usar roupa nova é hoje mesmo”, um dos seus maiores lemas.

“Dinheiro é meu escravo” ele tem que me obedecer.

“A maior derrota da vida dela”, é se arrepender de não fazer algo que só ela podia ter feito.

“Rir da vida” acredito que ela riu tanto, foi tão feliz, dona de uma alegria e de um carinho tão contagiante que as rugas demoraram a aparecer e o coração como diz o médico, parece o de uma menina de 15 anos.

E as estórias da Dona Nair? Ela seria uma excelente escritora se não fosse analfabeta. Sempre contou as estórias de Jorge Amado como se fossem dela e as suas próprias estórias incríveis e mirabolantes como se fossem de qualquer outra pessoa, de tão fascinantes.

Viver bem. “ Filha só não há jeito para morte”....Ao contrário daquele triste comercial dos chinelos Havaianas, seus conselhos sempre foram sábios.

Filha, você sabe que as plantas escutam a gente? Eu converso com elas todos os dias, por isso elas retribuem com muitas flores pra mim...

E os bichos? - Bicho faz bem pra gente....E lá vinha ela de novo contando a estória do seu galo de estimação....

Envelhecer é uma arte. A vida como Dona Nair viveu até agora é uma tela onde ela pintou coisas preciosas. Viveu para contar, como ela sempre diz.

A maneira como Dona Nair escolheu para envelhecer, não deixa de estar relacionada com o que Winnicott abordou em suas teorias acerca da psicologia. Sua reação frente ao envelhecimento é uma resposta as experiências que viveu na infância, que serviram como um espelho estruturante, que ela sempre pode olhar com muitos desafios.

Envelhecer é uma arte que requer dois caminhos: isolamento ou a possibilidade de elaborar criativamente esta fase.

Dona Nair ainda é criativa nisso. Ela faz 100 anos. Seu currículo: 3 filhas maravilhosas e excelentes mães, 10 netos e 3 bisnetos. Agregados à ela , um número incontável de amigos que formam sua família.

Dona Nair Viegas, com muito orgulho, minha avó.Uma verdadeira artista da vida e serva de Deus!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

POR QUE MEU FILHO NÃO APRENDE?




Está chegando o final de mais um ano letivo e muitos pais deparam-se com a angústia de não vislumbrarem a aprovação do seu filho para a série seguinte.

Investiram junto com as crianças durante o ano inteiro, na jornada chamada aprendizagem e o resultado frustrante surge: REPROVAÇÃO.

Em muitos casos, a criança não é retida na mesma série porque não se empenhou o suficiente. Reprovação é o resultado de vários sintomas que essa criança está demonstrando e que precisam de uma investigação séria por parte da família e da escola.

Por que meu filho não aprende? É a indagação de muitos pais, arrasados por não encontrarem respostas.

Muitas vezes algumas interpretações surgem no meio do caminho, mas por anos a fio, mascaram a dificuldade real da criança. Os pais muitas vezes ouvem as seguintes frases em “determinadas reuniões de escola”:

- Seu filho não aprende porque é imaturo.

- Seu filho não aprende porque não tem limites.

- Seu filho não aprende porque é preguiçoso.

- Seu filho não aprende porque é distraído e bagunceiro.

- Seu filho... Seu filho...

E o pai muitas vezes aceita, e vai criando dentro de si mesmo uma sensação de fracasso intensa e se questiona: Onde falhei. Por desconhecimento aceita as afirmações acima e por falta de orientação e esclarecimento não investiga estes sintomas que a criança apresenta.

Para trilharmos o caminho para uma verdadeira compreensão deste tema, é necessário entender o que de fato é aprendizagem, que definimos em 3 tipos básicos.

Subaprendizagem – Entrou em contato com assunto e não assimilou....

Aprendizagem Simples – Entrou em contato com o assunto, prestou atenção, mas não memorizou.

Superaprendizagem ou aprendizagem ideal – Entrou em contato com o assunto , prestou atenção, assimilou e memorizou.

Se a criança encontra-se nos 2 primeiros tipos:É necessário realizar um diagnóstico criterioso que investigue a causa que está provocando seus limites.

Todo sintoma que a criança apresenta, nos dá uma idéia de um problema que ela enfrenta e sinaliza a hora de buscar ajuda.


Os transtornos de aprendizagem podem ser explicados a partir de diversas etiologias:

Falta de oportunidades e estimulo para aprendizagem dentro de casa

Ensino deficiente: A escola não possui um sistema de ensino adequado e professores mal preparados e despreparados.

Fatores culturais: Se o presidente da república não estudou, porque eu devo estudar?

Comprometimento visual: Baixa acuidade visual, miopias e astigmatismo

Comprometimento auditivo: Doenças que não foram adequadamente tratadas no inicio da infância e que deixaram seqüelas que não foram investigadas.

. Processamento auditivo central: Geram dificuldades de atenção (que são confundidas com ritmo lento e desmotivação da criança)Ela ouve mas não processa a informação corretamente

Retardo mental: Diversas origens: Dificuldades na gestação ou no nascimento da criança: Anóxia de parto, infecções, doenças na gravidez e fatores genéticos.

Transtorno global do desenvolvimento: Dificuldades motoras, comprometimentos neurológicos, entre outros.

Transtorno da comunicação: gagueira, dificuldade na fala.

. Doenças, Transtornos e Síndromes que merecem um diagnóstico mais especifico por parte de equipe multiprofissional: Dislexia, Hiperatividade, Epilepsia, Discalculia, Autismo, Psicoses e Transtornos de personalidade e comportamento.

. Psicológicas: Traumas, problemas familiares e emocionais.

. Orgânicas: Desnutrição, doenças e sono.

Busque sempre uma resposta!
E aqui um recado especial para o pai que é cristão: Não desmereça o papel importante de profissionais. Deus permitiu a existência da Ciência e da Tecnologia para serem instrumentos Dele. Consulte profissionais sérios para avaliarem seu filho: Neuropediatra, Psicólogo, Fonoaudiólogo, Terapeuta Ocupacional, enfim, geralmente durante o diagnóstico você vai ser convidado a conhecer algum deles.

Reflita isso!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Não enfrente o gigante com as armas do gigante





Davi é um dos meus personagens bíblicos preferidos, porque é o impressionante retrato da confiança em Deus , de um homem segundo o coração Dele, ainda que fosse dotado de anseios e dificuldades inerentes ao homem e para completar :dono de uma personalidade muito intensa.


Meditei em uma das passagens mais conhecidas da saga deste personagem e observei algumas questões que me chamaram a atenção, Davi e o gigante Golias.


Golias pela descrição bíblica era um gigante para os padrões da época, considerando que os judeus tradicionalmente tinham estatura mediana. Para os soldados, Golias o herói de guerra filisteu, era enorme.


O relato bíblico apresenta além da elevada estatura de Golias, as armas que portava, seus trajes e sua armadura. Leva a nossa imaginação a entender uma colossal criatura, indestrutível e apavorante.


Surge então a figura de Davi, inexperiente em guerras disposto a enfrentar o gigante e ele diz corajosamente ao rei: -Deus me entregou o urso, Deus me entregou o leão, Deus me entregará Golias, que afronta o Deus vivo!


O rei Saul não tinha argumentos que pudessem fazer o jovem retroceder do seu intuito, então oferece armaduras e espadas para Davi, que ele veste e logo percebe que não foram confeccionadas para seu tamanho, não lhe servem, além da espada muito pesada e que não sabia manejar. Ele se despe destas armas e retira cinco pedras lisas do rio e junto com uma funda (espécie de estilingue) atira no meio da testa do gigante, que hoje sabemos , pode provocar uma lesão cerebral que provoca morte fulminante.


Davi não usou as mesmas armas do gigante para derrotá-lo , preferiu usar as armas de Deus, uma poderosa estratégia de sabedoria e audácia frente ao inimigo.


Querido leitor, quais tem sido suas armas para enfrentar os gigantes que surgem na sua vida?







Gigante do desemprego: Vou criar a famosa mentirinha do “que é que tem “ para ser aprovado na entrevista, ou vou apelar para o famoso Q.I, afinal Deus não vai ficar chateado com uma ajudazinha....


Gigante das Provas na Faculdade: Vou Colar, afinal todo mudo cola...


Gigante da Pornografia: Vou acessar o site pornográfico, afinal todo mundo dá uma espiadinha.


Gigante da Rebeldia: Vou fazer um comentário sobre a vida do pastor, afinal ninguém é de ferro.


Gigante da inimizade: Vou falar mal do meu chefe, preciso desabafar com os amigos...


Gigante da Falta de Ética: Vou baixar um livrinho na internet e uma música que vai ser benção....


Gigante dos 5 minutos; Todo mundo tem os seus, sou cristão, mas não sou tolo, gritou comigo, vou gritar também...


Eu enumeraria milhões de gigantes que temos a vencer nas nossas vidas. Contudo, você sabe perfeitamente qual é gigante que Deus quer derrotar na sua vida.


Como foi com Davi, as armas que este mundo hodierno utiliza atualmente não servem, não ficam bem e não existe numeração possível para o cristão.


Lute com as armas espirituais mais eficazes que existem no universo : o clamor sincero e a confiança em Deus.


Fé é o estilingue espiritual e emocional mais importante que existe! Reflita isso!







quinta-feira, 22 de outubro de 2009

STRESS



No Seminário Teológico, ainda na minha época de formação como seminarista, um professor fez uma abordagem acerca do tema que não esqueço até hoje.


“Olhai os lírios do campo que não segam nem fiam, contudo nem Salomão em toda sua glória conseguiu se vestir como um deles”.

Deus nos ensina através desta porção das escrituras sagradas que a sua obra criadora não denota preocupações, ansiedades ou ocupações excessivas.

Amigo leitor, o que você tem feito da sua vida? Após Deus, você tem estado na sua lista de prioridades?

A resposta certamente é não. Converso sempre com uma porção de cristãos atolados de trabalhos e atividades em suas igrejas, querendo ser servos fiéis e honestos na presença do Senhor, mas enfadados pelas inúmeras atividades e inesgotáveis compromissos de suas agendas. Desejam ardentemente transmitir saúde espiritual, mas a saúde emocional está completamente em frangalhos.

O meu professor naquela época debateu conosco a dissonância que existe entre o que professamos, declaramos, mas não colocamos em prática em nossas vidas.

O stress em excesso transforma-se em exaustão emocional e acaba com a sua energia. Na medida certa, dá o impulso que você precisa para enfrentar as pressões do dia-a-dia.

O desafio de todo mundo é dar conta de tantas responsabilidades na escola, em casa e no trabalho.

Se a pessoa puder encontrar situações que promovam sua segurança e bem estar que não provoquem danos ao seu potencial, exercerá o trabalho de forma criativa mesmo que mediante os desafios. Lidar com essa pressão que se torna difícil no dia a dia a dia e cada um deve conhecer seus limites.

Uma síndrome muito investigada atualmente é burnout. A pessoa acometida pela síndrome desenvolve relações impessoais, destituídas de calor humano. No trabalho, um dos efeitos da síndrome de burnout é tornar inviável seu desempenho e rendimento, pois a pessoa torna-se incapaz de receber e transmitir conhecimentos, sofrendo de ansiedade, melancolia, baixa auto-estima e tendo sentimentos de exaustão física e emocional.

Devemos desenvolver resiliência que é uma habilidade pessoal de voltar ao estado normal de saúde ou de espírito após períodos de doenças ou dificuldades de qualquer tipo, sejam adversidades ou pressões quotidianas.

Mesmo com a vida cada vez mais difícil, é possível não cair num mar de desânimo e administrar bem o estresse. Na medida certa, acredite, essa reação do organismo é necessária para ajudar você a enfrentar situações de desafio ou emoções muito fortes .

Em excesso, no entanto, pode tirar todo o seu pique e abrir as portas do organismo para doenças. Um dos maiores desafios dos dias de hoje é justamente conseguir equilibrar o trabalho e as emoções sem se deixar dominar pelo estresse.


Posso perguntar novamente:Você está na sua lista de prioridades?

Quem se cuida tem um desempenho melhor. Isso inclui fazer o que gosta, curtir a família e os amigos, se distrair com uma boa leitura, praticar exercícios físicos e se alimentar bem.

 O estresse é contagioso".

"Uma pessoa desanimada é capaz de desanimar um grupo inteiro."

"Não podemos deixar o prazer e o descanso em último plano. É preciso equilibrar obrigações e prazer", afirma Marilda Lipp, pesquisadora do Centro Psicológico de Controle do Stress, em Campinas (SP).

Pense nisso!Vamos cultivar saúde emocional. Deus quer te ver feliz!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Pérolas...



Uma ostra que não foi ferida não produz pérolas...

Pérola é produto da dor, resultado da entrada de uma substância indesejável no interior da ostra.

A parte interna da concha de uma ostra é o nácar....

Quando um grão de areia penetra, as células do nácar começam a trabalhar e cobrem o grão de areia com camadas e mais camadas para proteger o corpo indefeso da ostra......

Uma ostra que não foi ferida de algum modo, não produz pérolas, pois a pérola é uma ferida cicatrizada...



Suas idéias já foram rejeitadas ou mal interpretadas? Você já recebeu os duros golpes da indiferença? Então, produza uma pérola.

Eu tenho certeza de que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus! As escrituras sagradas afirmam isto. Deus aproveita todas as dores e dificuldades de seus filhos para tratar com eles. Infelizmente existem momentos que passam desconhecidos por nós e o aprendizado não ocorre.

Deus é o melhor professor que existe. Primeiro ele nos submete à prova e depois ensina a lição.

Precisamos encarar as dificuldades da vida com mais resiliência, coragem e ousadia.

Cubra suas mágoas e as rejeições sofridas com várias camadas de amor ...Seja Feliz!



Não sou adepta da Teologia do Sofrimento e nem do Jogo de Contente. Mas fiz da seguinte frase, um lema para eu seguir todos os dias:

"O segredo da vida não é o que acontece com você, e sim o que você faz do que acontece com você". Reflita isso!

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Show de Professor!!!!



Um estudo realizado na Universidade da Califórnia em Los Angeles mostra que o impacto de uma aula é feito de: 55% estímulos visuais (como você se parece, anda e gesticula); 39% estímulos vocais (como você fala, sua entonação e timbre) e 7% apenas de conteúdo verbal (tema sobre o qual você fala).

O aprimoramento das aulas, apesar de vantajoso, não é fácil para o professor. Muitas vezes, os obstáculos vem dos próprios colegas.

Não sugerimos que você se torne um apresentador de televisão do dia para noite, que dê um show pelo show, que conte piadas sem parar. Acima de tudo, deve estar a sua disciplina.

Essa maneira diferente de lecionar deve ser encarada como mais uma ferramenta a sua disposição, mais uma maneira de atrair a atenção dos seus alunos. E, principalmente, de abrir horizontes profissionais.

Assassinos: Precisamos espantar os assassinos da criatividade,como por exemplo: a autocensura, fixidez ou rigidez funcional ou até mesmo a frustração, que nos tiram do bom caminho da criação.

O que é criatividade afinal?

• O professor pode fazer micagens e, no entanto, não desenvolver a criatividade. Não é porque a aula é alegre que a criatividade está promovendo-se..

• Aula show?

• As escolas também estão aprendendo a diferenciar o professor que consegue realmente fazer algo diferente daqueles que apenas empetecam as aulas.

• Criar e vivenciar e tirar da sua experiência novas respostas, outros caminhos para a ação a seguir. Então, quanto mais velho, mais criativo eu serei? Talvez, pois o ato de criar depende das vivencias. No entanto, apenas a passagem do tempo nem sempre fornece o feedback criativo em nossas ações, sendo também importante o modo como as vivenciamos.

• Criatividade passa necessariamente por experimentar coisas novas, por não se acomodar em um só caminho, por se desenvolver e aprender coisas novas sempre Portanto, quando desenvolvemos a criatividade, melhoramos consideravelmente a nossa auto-imagem e a nossa auto-estima. Podendo discernir melhor as coisas que são importantes para nós, conseguimos gerar idéias novas e únicas a todo o momento, o que é fundamental para o nosso desenvolvimento,


• Não é o cabelo verde, subir em cima da mesa, dançar com os alunos. E fazer o que for preciso para despertar o interesse e garantir a atenção da turma. Muitas vezes, isso e conseguido com um novo tipo de exercício, lápis e papel. Por que não?

Algumas Dicas:


• Leia muito, de grandes livros de Filosofia a bula de remédio. De vez em quando, compre uma revista de um assunto que não tenha nada a ver com você: skate, pescaria, tricô.

• Faca caminhos diferentes para ir à escola, e preste atenção no que passa por você.

• Nunca pare de se desenvolver. Mesmo que esteja satisfeito com sua forma de dar aula, desafie-se a sempre melhorar

• Converse com vizinhos e com pessoas de outros ramos de atividade, aprenda com elas

• Procure olhar tudo com os olhos de um alienígena. Por que as coisas ocorrem de determinada maneira? Por que determinado material didático esta naquela posição? Será que não há uma maneira mais pratica, fácil ou inteligente de organizar e usar aquilo?

• Invista em um livro engraçado? De piadas, de charges ou cartuns e similares. Antes de um encontro ou aula potencialmente estressante, leia algumas paginas. Assim você relaxara seus nervos e isso pode ajudá-lo a criar uma frase engraçada que cortara a tens?o do encontro, ajudando todos a encontrar a melhor solução.

• Lembre-se sempre dos motivos pelos quais você quis ser professor. O que o motiva, a sua alegria de lecionar.

• Jornais é outra grande fonte de informação sobre seus alunos, sempre estão publicando pesquisas sobre o comportamento e a cabeça dos mais jovens. Acompanhe esses estudos de perto.

• Procure conhecer pessoas que trabalham em creches, hotéis infantis ou colônias de ferias. Peça dicas sobre o que incomoda o pessoal mais jovem.

• Ensine-os a pensar. Assim, você não apenas da um tesouro que será usado a vida inteira, mas facilita também o aprendizado

• Use experiências e qualidades dos próprios alunos em suas aulas.

• Um show de Professor na sala de aula!

• Convém nunca esquecer que a expressão é a diferença vital entre o homem e a máquina, o que iguala-o à natureza e aproxima de Deus .

terça-feira, 13 de outubro de 2009

FILHOS TIRANOS X PAIS PERDIDOS


Dia das Crianças!


Um dia sempre muito marcado pelas festas e comemorações em todo o pais.

Contudo, um dia propicio para observar em parte, o rumo da educação que muitos pais tem dado aos seus filhos.

Conversando com um membro da minha igreja, fiquei muito feliz e aliviada em saber que muitos pais ainda sabem como educar e aplicar limites aos seus filhos.

Ele me disse que sua filha não recebe presentes em datas comemorativas. Ela recebe uma mesada que está aprendendo a administrar. A criança poupa a quantidade necessária para comprar o que deseja e quando consegue o valor, escolhe o que o seu dinheiro pode comprar. O pai me disse que este procedimento tem ensinado sua filha a valorizar , consolidar e administrar seu dinheiro, assim como valorizar o que recebe.

Infelizmente este exemplo não se cumpre em muitos lares, inclusive os cristãos. Os pais preferem ficar endividados ao terem que ser confrontados pelos filhos e temem perder o seu amor, caso não atendam suas exigências, baseadas em desejos e não em necessidades.

Uma verdadeira educação:

Ensina a tolerar pequenas frustrações no presente para que, no futuro, os problemas da vida possam ser superados com equilíbrio e maturidade

Demonstra que existem OUTRAS pessoas no mundo. Assim evita que seu filho cresça achando que todos no mundo têm de satisfazer seus mínimos desejos e, se tal não ocorrer (o que é mais provável), não conseguir lidar bem com a menor contrariedade, tornando-se, aí sim, frustrado, amargo ou, pior, desequilibrado emocionalmente.

Leva a criança compreender que seus direitos acabam onde começam os direitos dos outros.

Dizer "sim" sempre que possível e "não" sempre que necessário.

Mostrar que muitas coisas podem ser feitas e outras não podem ser feitas.

Desenvolver a capacidade de adiar satisfação (se não conseguir emprego hoje, continuará a lutar sem desistir ou, caso não tenha desenvolvido esta habilidade, agirá de forma insensata ou desequilibrada, partindo, por exemplo, para a marginalidade, o alcoolismo ou a depressão).

• Saber discernir entre o que é uma necessidade do filho e o que é apenas desejo.

• Ensinar que a cada direito corresponde um dever e, principalmente:

• Dar exemplo! Quem quer ter filhos que respeitem a lei e os homens, tem de viver seu dia-a-dia dentro desses mesmos princípios, ainda que a sociedade tenha poucos indivíduos que agem dessa forma.


DAR LIMITES NÃO É....

• Bater nos filhos para que eles se comportem. Quando se fala em limites, muitas pessoas pensam que significa aprovação para dar palmadinhas, bater ou até espancar

• Fazer só o que vocês, pai ou mãe, querem ou estão com vontade fazer.

• Ser autoritário, dar ordens sem explicar o porquê, agir de acordo apenas com seu próprio interesse, da forma que lhe aprouver, mesmo que a cada dia sua vontade seja inteiramente oposta à do outro dia, por exemplo.

• Deixar de explicar o porquê das coisas, apenas impondo a "lei do mais forte".

• Gritar com as crianças para ser atendido.

• Deixar de atender às necessidades reais (fome, sede, segurança, afeto, interesse) dos filhos, porque você hoje está cansado.

• Invadir a privacidade a que todo ser humano tem direito.

• Provocar traumas emocionais, humilhações e desrespeito à criança. Toda criança tem capacidade de compreender um "não" sem ficar com problemas

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

EMPATIA






A bênção dada aos gritos cedo de manhã, como

maldição é recebida. - Provérbios 27:14



Tenho gostado muito da Campanha Nacional pela Educação no Trânsito. Achei muito interessante um destes comerciais que mostram um homem ziguezagueando com o carrinho de compras pelas filas do caixa no supermercado, para cortar as filas. Igualzinho ao trânsito que enfrento à noite em São Paulo.

Não existe nada tão desconcertante como a grosseria.Ela é o fruto que acompanha as pessoas desprovidas de empatia.

Empatia é a capacidade de colocar-se no lugar do outro, sentir o que o outro sente e conseguir ser o suporte do outro, sem deixar se abater pelo que recebe.

O nosso mundo está precisando demais da relação de empatia. O que assistimos todos os dias, principalmente nos centros urbanos, são pessoas que se irritam com muita facilidade sem ao menos prestar atenção nas motivações das pessoas.

Aprender a se colocar no lugar de outrem não é tarefa das mais fáceis. Aprendi em aconselhamento, que precisamos enxergar o elefante gigantesco, chamado problema que o outro está vendo e não apenas enxergar aquilo, como um miserável mosquito.

Sem empatia, passamos como um verdadeiro rolo compressor por cima das pessoas e conseguimos ainda justificar isso com diversos nomes:

Minha liderança é forte...

A obra de Deus não pode parar...

É bom me dar os 5 minutos...

E por falar nos 5 minutos, respire fundo e analise suas reais motivações. Por mais sinceras que sejam não justificam a ira, a palavra dita fora de tempo ou o furor que desconcerta todos ao redor. Você descobre no final que a maior vitima de tudo isso é você mesmo. As pessoas começam a se afastar de você e se elas não podem se afastar permanecem com você num relacionamento vazio e sem cor, ficam como flores de plástico, artificiais.

Por muitas vezes o nosso egoísmo e a falta de autoconhecimento nos deixa escravizados nestes paradigmas.

Deixe a acidez de lado e comece a se imaginar no lugar das pessoas.

Reflita isso!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

ATITUDE





Uma mulher acordou uma manhã após a quimioterapia, olhou no espelho e percebeu que tinha somente três fios de cabelo na cabeça.

-Bom , acho que vou trançar meus cabelos hoje.

Assim ela fez e teve um dia maravilhoso.

No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e viu que tinha somente dois fios de cabelo na cabeça.

-Hummm , acho que vou repartir meu cabelo no meio hoje.

Assim ela fez e teve um dia magnífico.

No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que tinha apenas um fio de cabelo na cabeça.

-Bem , hoje vou amarrar meu cabelo como um rabo de cavalo.

Assim ela fez e teve um dia divertido.

No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que não havia um único fio de cabelo na cabeça.

- Yesssssss...(ela exclamou), hoje não tenho que pentear meu cabelo.

Esta estória ilustra bem acerca de como o nosso olhar e a nossa atitude sobre as nossas dificuldades vão fazer toda a diferença.

Meu marido me enviou esta estória numa etapa muito difícil em minha vida, quando perdemos o nosso filho. No cabeçalho ele alertou: Otimista: SEMPRE, pessimista: NUNCA!

Querido leitor, talvez os nossos problemas continuem sempre em algumas prateleiras de nossas vidas, simplesmente porque aquilo faz parte da nossa estória de vida. Contudo, a atitude que devemos ter ao olhar para estas prateleiras é que vai fazer toda a diferença.

Talvez o nome para isso seja RESILIÊNCIA, termo muito usado atualmente em Psicologia, mas que teve suas origens ligadas na Física, que é o conceito que aplicamos acerca da resistência de um material quando submetido à pressões sem deformar-se.

E você? O quanto tem sido resiliente?

O quanto tem submetido-se às terríveis pressões da vida sem deformar-se?

É um grande desafio que só pode ser vencido através de muita intimidade com Deus, sabendo que Ele vai agir de acordo com seus propósitos.

Eu sempre afirmo que Deus não desperdiça nenhuma dor que atravessamos. Tudo ele aproveita para cumprir seus desígnios eternos.

Deus não quer que sejamos deformados pelas pressões, mas quer de nós atitudes baseadas nos princípios da sua palavra, tal qual o bálsamo de Gileade para nos curar.

ATITUDE É TUDO! Reflita isso!

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

ENTENDENDO O AMOR DA SUA VIDA







Hoje é um dia muito importante para  os casais de nossa igreja.Solicitamos que todos comecem a leitura do livro Desafio de Amar da BV Filmes. Serão 40 dias de desafios para o casal.

A inspiração para este trabalho, surgiu após ver o filme a Prova de Fogo, que mostra a situação de um casamento em ruínas e como um presente “O livro Desafio de Amar”, do pai do protagonista, torna-se um instrumento para a restauração do casal.

Um dos desafios que me chamaram a atenção no filme foi: Estudando o seu cônjuge. No livro você tem que aprender a conhecer o seu cônjuge, estudá-lo, entender o amor da sua vida.

Muito oportuno para os tempos atuais, do ficar , do deixar rolar, da geração fast-food, do fraco conhecimento, do fraco entendimento e da falta de comunicação e observação.

Entenda o amor da sua vida:

Existem dois passos que devemos trilhar:

1.Entenda a si mesmo .Romanos 12:3

2. Entenda e valorize seu cônjuge Ef.5:33

Se você não conhece a si mesmo, você não consegue se amar, em consequência, você não pode amar seu cônjuge.

Saber quem você é, vai valorizar seu cônjuge e fazê-lo feliz!

Nós temos pontos fortes e fracos.

Para Entender o Amor de sua Vida você precisa identificar seu estilo pessoal e descobrir os pontos fortes e fracos que trouxe na bagagem para o seu casamento.

 Sua atitude a respeito de seus pontos fortes: “ Eu agradeço ao Senhor” Sl 139:13-14

 Com certeza seu cônjuge completa um ponto fraco seu.

 Busque maximizar o impacto positivo de seus pontos fortes no seu casamento.

 Sua atitude a respeito de seus pontos fracos: “Eu busco ao Senhor”.IICor.12:9-10

 Entregar os pontos fracos ao Senhor.

 Deixe Deus minimizar seus pontos fracos

Entender o amor da sua vida minimiza as projeções que muitas vezes insistimos inconscientemente em lançar sobre a vida do nosso cônjuge.

A cura para tudo isto é sermos honestos e verdadeiros “detetives do jeito de ser”.

O resultado é a descoberta para uma vida conjugal mais plena, mais livre e mais feliz!

Reflita isso! Cumpri a minha primeira página do Desafio de Amar hoje!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

METAMORFOSE...




A lagarta é um inseto que não possui muitos encantos. Rasteja-se no chão, troncos e galhos das árvores. É objeto de terror, para as menininhas que enxergam nelas, verdadeiros monstros. Na minha época de criança, “as lagartas de fogo ou taturanas” eram arremessadas para desespero nosso e alegria dos meninos.

A lagarta ao longo do tempo vai sofrendo um processo interessante, enquanto é objeto de ojeriza geral, vai comendo tudo que é folha pela frente e num dado momento, começa a tecer o casulo que vai lhe abrigar durante alguns dias.


Os dias se passam e lá dentro daquele casulo acontece um processo transformador, que a ciência batizou de: Metamorfose.

A metamorfose chega ao seu ápice, quando o novo “ser transformado” precisa romper com as duras camadas que revestiam o casulo. Rompê-las não é nada fácil. A borboleta, produto desta metamorfose, precisa usar todas as suas forças. Tentar ajudá-la é tentador... Mas este obstáculo que ela tenta remover é necessário. Sem ele, ela jamais fortaleceria suas asas. O processo do rompimento do casulo é sabiamente dado por Deus para a borboleta obter o fortalecimento necessário para alçar seu vôo. E como é bom vê-la voar, livre, solta no céu e no ar.

Acredito que somos como as lagartas antes de conhecermos a Jesus. Somos donos de todas as feiúras possíveis, mas quando Cristo nos encontra, ele nos transforma.

Constantemente em nossa trajetória cristã, estamos em processo de santificação, que representa o casulo. Precisamos sempre romper com obstáculos, lidar com as lutas e as batalhas.

Deixar de enfrentá-las é perder a oportunidade de deixar Deus nos abençoar com o fortalecimento e o crescimento.

Deixar a batalha de lado é perder a oportunidade de desfrutar a liberdade que só Cristo pode oferecer.

Deixar os outros nos pouparem das lutas e dificuldades pessoais, é perder a possibilidade de amadurecer as nossas asas para voarmos mais alto.

Quanto mais amadurecermos, voamos mais alto sim, conseguimos galgar degraus cada vez maiores em nossa intimidade com Deus.

Querido leitor, voe alto! Rompa com os casulos, mas reconheça que toda luta e dificuldade enfrentada foi necessária para transformar quem você é! Reflita isso!

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Uma Prova de Amor



Assisti ontem ao filme: “ Uma Prova de Amor”, estrelada pela atriz Cameron Diaz. Conta a saga de uma mãe que luta de forma incondicional pela sobrevivência da filha, que é portadora de um tipo de leucemia rara e agressiva. Seus pais adotam a sugestão do médico e resolvem fazer um bebê de proveta, que teria compatibilidade total com a irmã e a partir daí, suprir todos os transplantes necessários.

Controvérsias a parte sobre o tema, o que de fato mais me chamou a atenção é a dificuldade que o ser humano tem em aceitar sua finitude.

É mais uma prova de que de fato fomos criados para a Eternidade. Não fomos criados para viver apenas um intervalo de tempo. Está no DNA humano querer continuar a jornada.

Como é difícil deixarmos partir quem tanto amamos e queremos. É terrível ter que conviver com as perdas no mundo terrestre. A nossa esperança está no céu e quão reconfortante saber que lá encontraremos nossos avôs, pais e filhos que amamos tanto.

E o Amor, tema central deste filme, faz ainda elucidar outra dor dilacerante na vida de um ser humano: A Perda de um filho. O filho simboliza para os pais uma sensação de plenitude muito intensa, é como se enxergar em pequeninos mosaicos, uma parte de nós. Quando ele se parte antes de nós, psicologicamente é como uma pequena parte que se foi também...

A dor da perda muitas vezes nos deixa tão focados nela, que não percebemos nada ao nosso redor: trabalho, casa, cônjuge e até mesmo os outros filhos, como no caso do filme, passam a ocupar a segunda divisão do campeonato. E como todos sabem, é o tipo de campeonato que não recebe nenhuma atenção.A família acaba ficando abandonada.

Querido leitor,  Deus, não desperdiça nenhum momento de dor, ele aproveita tudo para trabalhar em nossas vidas e de todos ao nosso redor. Um relacionamento de intimidade com Deus faz a gente perceber que ao contrário do que é encenado no filme, Ele interfere na nossa história, de acordo com seus soberanos desígnios.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Fazer o que Deus quer que façamos! Hb 3:18








Uma floresta linda, cheia de flores, árvores e animais estava pegando fogo. Os bichos abandonaram a floresta, com medo de serem atingidos pelas imensas labaredas que insistiam cruelmente em avançar nos seus ninhos, tocas e galhos. Com medo, todos eles se refugiaram perto de um rio. A água parecia apresentar o conforto e o refrigério que tanto precisavam naquele momento. Contudo, de repente, algo chamou a atenção de toda a bicharada. Era o movimento de um pequeno beija-flor, que levava água do rio, através de pequenas gotículas em seu bico, até o incêndio da floresta.


O elefante inconformado, disse: - Beija-flor, que tarefa inútil é esta? Não vê que jamais conseguirá apagar o incêndio, essas gotinhas não vão fazer diferença contra este incêndio.


O beija-flor, insistente afirmou: - Não importa o resultado da minha tarefa. Estou fazendo a minha parte!


A estória acima é uma ilustração do que acontece em muitos momentos de nossas vidas. A floresta representa os nossos alvos, sonhos, ministérios, igrejas,realizações, profissão, papéis a serem desempenhados e tudo o mais...


O incêndio e o fogo ilustram as iminentes ameaças que sofremos, e que se perdurarem, nos conduzem a destruição dos nossos sonhos e projetos e possivelmente a consumição dos nossos alvos.


Os bichos revelam as vozes, os comentários de desânimo, as calúnias, as fofocas, as criticas destrutivas, que nada colaboram para a construção de uma vida cristã verdadeiramente saudável entre o povo de Deus.


Emocionalmente, dando ouvidos a essas vozes, nos deixamos abater e se a convicção e a obediência à Deus não estiverem plantadas em nosso coração, com certeza nos deixamos envolver pela letargia geral da bicharada da floresta. Ou seja, ficamos imóveis! Deixando que o fogo faça o seu cruel trabalho, que é DESTRUIR!


Mas prefira ser o Beija-Flor! Não deixe a floresta ser dizimada pelo fogo cruel das criticas, nem pelas labaredas destrutivas do desânimo.


O beija-flor desta estória foi obediente e lutou com todas as forças que pertenciam a ele, ainda que pequenas.


Deus espera que todos nós façamos a nossa parte. Ainda que com pequenas gotículas de água. Ele espera a nossa obediência.


Amigo leitor, Deus é o maior interessado em apagar o incêndio da sua floresta, do seu coração, da sua mente, da sua vida!Faça a sua parte e entregue a Ele o que lhe pertence. Agir sobre o impossível!


Reflita isso!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

CRIAR X EDUCAR



Deu no noticiário: Estudante pixa o muro da escola recém pintado. Professora repreende e solicita que ele possa reparar o dano, pintando novamente. Resultado: Pais do estudante se revoltam contra a professora.


Que mundo é este que vivemos? As pessoas já não reconhecem mais a figura de autoridade e principalmente: Vem ai uma geração totalmente perdida e sem limites.

Lembro-me bem caro leitor e se você for da década de 70 como eu vai se recordar:

Sou do tempo que olhar para um professor de cara feia era motivo suficiente para conhecermos a sala da direção da escola.

Sou do tempo que meus pais sabiam exatamente onde eu estava, sem precisar me oferecer um celular.

Sou do tempo que desobedecer os pais, era motivo para uma bela e merecida punição.

Sou do tempo que presentinhos eram apenas no Natal. E não porque tirava boas notas na escola. Aliás fazer isso era nossa obrigação.

Sou do tempo que bastava o olhar do meu pai, para saber que deveriar entender quais eram meus limites.

Queridos, por mais que os modernismos estejam batendo as nossas portas, as sagradas escrituras revelam: Aqui na Terra, a família é o relacionamento mais importante na vida de um homem.

Educação de Filhos: Não há missão mais importante que alguém possa realizar :

É salvar gente.

É formar os homens e mulheres do amanhã.

É definir o rumo das gerações da sua descendência.

Vejam na natureza: Tartarugas Marinhas deixam as cascas de seus ovos e dirigem-se sozinhas para a água Iniciam sua luta pela sobrevivência ,mas nunca saberão quem foram seus progenitores.O Homem nasce o mais frágil e dependente dos filhotes.E inicia-se o mais belo e marcante dos relacionamentos da vida.Tartarugas transmitem somente genes para seus filhotes. Pais formam e educam seus filhos.


A família de uma criança é o fator de maior importância em sua formação.O lar molda o caráter e a personalidade da criança.

As ações dos pais hoje influenciarão os filhos e as gerações que virão depois deles.

O que está acontecendo hoje quanto à educação de filhos?Pais mais confusos e filhos menos felizes do que antes.

Não podemos confundir o exercício bom e legítimo de autoridade com o autoritarismo.

“Muitos pais sofreram tanto com o autoritarismo que se tornaram extremamente permissivos” Içami Tiba.

O Modelo correto de autoridade é utilizar Firmeza e Carinho.

Os pais devem exercer sua autoridade com firmeza e carinho, estabelecendo limites e corrigindo os erros que os filhos cometam, sem medo de traumas.

Deixar um filho sem limites deforma o seu caráter.

Filhos não querem presentes, querem os pais.

Para que nossos filhos tenham valores e conceitos dignos é necessário dedicar-nos a instruí-los.

“Crianças sem limites não são educadas, são simplesmente criadas.”Içami Tiba

Poemia

;